9 de abr de 2011

SONHANDO COM A MORTE - Crônica

... Lá fizemos amor...

Naquela noite fomos cedo para cama. O dia havia sido cansativo. Há semanas eu estava trabalhando num projeto na cidade de Itajaí, em Santa Catarina, distante uns 700 quilômetros de minha casa.
Nos fins de semana eu voltava para São Paulo para um breve descanso. Este fim de semana, porém, seria diferente. Em vez de voltar, ela viajaria para Itapema, a 20 quilômetros de Itajaí, onde passaríamos o fim de semana.

Lá havia um lindo hotel junto ao mar, com praia privativa, campo de golfe, piscinas com água salgada etc.

Ela viajara durante o dia e à tardinha, após o trabalho, nos encontramos no hotel. Naquela época o trajeto aéreo São Paulo-Itajaí era feito principalmente por Vockers 50. Apesar de pequena, os passageiros gostavam da aeronave que diziam ser muito segura.

Instalamo-nos na parte antiga do hotel, num amplo apartamento no andar térreo, cujo corredor dava acesso à praia.

Ainda era dia e saímos para uma volta pelo hotel. Fomos ao campo de golfe, visitamos os jardins e depois fomos dar um passeio pela praia que estava completamente deserta.

Esta praia é muito bonita e aconchegante. Na verdade ela é o fim de um despenhadeiro com muitas rochas esparramadas pela areia formando alguns corredores que mais parecem labirintos.

Com a subida da maré e com a batida das ondas esses corredores eram inundados pelas águas cálidas do Atlântico, formando espumas borbulhantes que imediatamente sumiam, parecendo serem engolidas pela areia fofa quando do retorno das ondas. Lá, fizemos amor.

Após a caminhada jantamos no restaurante do hotel que se achava bastante vazio eis que a maioria dos hospedes ainda não havia chegado para o fim de semana.

A maior parte deles chegava em ônibus fretado. Não sei exatamente de onde. Assim, aos poucos, o hotel foi ganhando vida.

Após o jantar fomos para o nosso apartamento e nos deitamos na mesma cama. Após um pequeno cochilo acordei e liguei a TV. Ela dormia ao meu lado.

Não demorou muito e voltei a pegar no sono.

Naquela noite tive um estranho pesadelo. Sonhei que a senhora morte veio me buscar. Ela andava silenciosamente em minha direção vestindo uma túnica escura esvoaçante e eu não podia ver o seu rosto.


Quando ela se debruçara sobre mim eu dei um enorme berro no meio da noite: "NAA..AA..OOOOO!" Ao mesmo tempo, deitado, dei um chute naquela sombra, acordando com o meu próprio grito. Era minha esposa voltava pra cama após desligar a TV. Para não me incomodar, ela enrolada no cobertor, voltava silenciosamente e no escuro para a cama e curvara o seu corpo para voltar a deitar-se ao meu lado.




O chute não a acertara, mas ela e eu quase morremos de susto. Metade dos hóspedes acordaram no meio da noite com o meu berro imaginando ...



F I M





Walter Tamiozzo



















Nenhum comentário:

Postar um comentário