9 de abr de 2011

LLEIDA CATALUNHA - Crônica

Ontem nos despedimos de Megeve, França, e partimos em direção a Madrid. 1.400 quilômetros de estradas e decidimos fazer um pit stop em Lleida, Catalunha, logo após a fronteira. No caminho algumas usinas nucleares.

Dizem que os vapores que saem das torres de resfriamento não são radioativos, mas dão arrepios só de olhar (ou não dão?). Na França 80% da energia elétrica é de origem nuclear.



Chegamos a Lleida à noitinha e mal nos instalamos no hotel e já partimos para um rápido tour pela ciudad e escolhemos um pequeno restaurante especializado em caracoles (escargots) para uma jantinha básica. Ali os preços são muito razoáveis. Gastamos pouco e comemos bem. Claro que regado a um bom vino espanhol, ou seria catalão? (sic).

O mais complicado para nós era pronunciar o nome da cidade, com dois “eles”. Assim, com muito jeito, perguntamos a nossa garçonete como pronunciar o nome da cidade, em espanhol e em catalão. Ela nos disse com certo ar de tristeza: “Em espanhol, não se usa mais, mas seria Lérida” e com muito orgulho, ”mas em catalão era Reí-da”.


Walter Tamiozzo
LLeida (Lerida) - Espanha

Nenhum comentário:

Postar um comentário